exames

4 exames que um recém-nascido deve realizar

Quando um bebê nasce, é fundamental que ele passe pela triagem neonatal. Composta por uma bateria de exames, a triagem tem o objetivo de identificar, precocemente, algumas doenças e a prevenir futuras sequelas. Dessa maneira, ainda na maternidade, são feitos, além do Pezinho, o Teste do Olhinho, Orelhinha e Coraçãozinho.

A triagem é capaz de detectar uma série de doenças congênitas ou infecciosas, assintomáticas que podem causar sérios danos à saúde e sequelas por toda a vida. Assim, com a triagem, é possível interferir no curso da doença, permitindo o tratamento antes mesmo do aparecimento de sintomas, visando diminuir e até eliminar sequelas associadas à doença.

Conheça os exames da triagem neonatal

Teste do pezinho

Ele é realizado logo nos primeiros dias de vida. Entretanto, não pode ser feito antes de 48h após o nascimento porque, assim que nasce, o bebê ainda sofre influências das alterações hormonais e metabólicas que naturalmente acontecem com a transição da vida fetal para a vida pós-natal.

O Teste do pezinho pode detectar problemas como fenilcetonúria, doença falciforme, deficiência de biotinidase, fibrose cística, hiperplasia adrenal congênita e hipotireoidismo congênito.

Teste do olhinho

Conhecido também como Teste do Reflexo Vermelho (TRV), o teste do olhinho é realizado ainda dentro da maternidade. Ele tem o objetivo de identificar se o recém nascido possui problemas como a catarata congênita, hemorragias, retinoblastoma, graus avançados de miopia e hipermetropia.

O TRV é realizado pelo pediatra nos primeiros dias de vida do bebê. Quando há alguma suspeita, o médico da criança faz o encaminhamento urgente para o oftalmologista, que, com exames mais detalhados, analisa qual patologia atinge o olho do paciente.

Teste do coraçãozinho

O Teste do coraçãozinho é realizado entre as primeiras 24 e 48 horas de vida do bebê. Ele tem o objetivo de identificar possíveis alterações e malformações cardíacas na criança. Com esse tipo de exame é possível detectar cardiopatias graves que não são possíveis de serem detectadas em exames de rotina devido à falta de sintomas. Dentre as patologias identificadas no teste do coraçãozinho está a cardiopatia congênita, que atinge dez a cada mil recém-nascidos.

O exame é realizado com o auxílio do oxímetro, que mede a oxigenação do sangue e dos batimentos cardíacos do bebê. Caso haja alguma alteração neste exame, são realizados outros testes, como o ecocardiograma para, assim, um diagnóstico e tratamento precisos.

Teste da orelhinha

Também é um exame obrigatório, no qual todas os hospitais e maternidades devem realizar gratuitamente. O teste da orelhinha tem o objetivo de identificar possíveis problemas auditivos no bebê. Esse tipo de exame é realizado, geralmente, no segundo ou terceiro dia de vida do recém-nascido. Com a duração de cerca de 10 minutos, esse teste é realizado enquanto o bebê dorme e não provoca dor ou desconforto para a criança.

Quando o bebê apresenta algum fator de risco como o nascimento prematuro e casos de surdez na família, é necessário que o teste seja realizado novamente aos sete meses de vida.

Esses tipos de exames são essenciais para a saúde e qualidade de vida do bebê, uma vez que eles detectam doenças graves que podem provocar a morte. Para se ter uma ideia, dados do Ministério da Saúde mostram que entre os anos de 2012 e 2017 foram realizados quase 15 milhões do teste do pezinho. Assim, foi possível diagnosticar quase 20 mil bebês que possuíam alguma doença identificável no teste. Por isso, não deixe de fazer no seu filho a triagem neonatal.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como pediatra em Belo Horizonte!

O que deseja encontrar?

Compartilhe